Cores

Colorchecker

Gestante

Book de Gestante

Fotografia Gourmet

 

Category Archives: Dicas

As Objetivas Padrão

As Objetivas Padrão  produz uma imagem semelhante ao que enxergamos, propiciando as distâncias focais mais próximas do nosso campo central de visão e ignorando a visão periférica dando ao assunto fotografado uma visão com mais naturalidade.

Aqui vai uma dica valiosa: Uma lente fixa de 50 mm de baixo custo, tem uma abertura máxima de f/1.8 , deixando passar 4 vezes mais luz do que uma objetiva 28 – 70 mm de abertura máxima de f/3.5 sugerindo uma velocidade de 1/30 seg ao em vez de 1/8 seg.

AF-S_NIKKOR_50mm_f_1.8G_Compact_CAmeras

objetiva padrão – 50mm

 

 

Bibliografia: O novo manual de fotografia – John Hedgeocoe

SOMBRINHAS – Luz boa – acessório barato.

“Eu ensino a fotografia há 16 anos, sei das dificuldades de quem está começando, e a sombrinha é o modificador mais barato entre todos, sendo que a qualidade da luz é muito boa”,
Temos vários tipos ,vou mostrar  de forma reta e direta como usar.

Modelo: Ingrid Muller

Produção: Silvinha Figueiredo

Make: Daniela Santos

Agradecimentos aos fabricantes: ATEK – MAKO – Radioflash

 

“A sombrinha rebatedora de branco tem como característica uma luz bastante suave. É uma sombrinha utilizada em quase todos os kits.

“A sombrinha rebatedora de branco tem como característica uma luz bastante suave. É uma sombrinha utilizada em quase todos os kits.

“Uma luz bastante contrastada, bem mais dura do que a sombrinha branca. A gente percebe pelo fundo: mais escuro, mais acinzentado, uma luz mais dramática.

“Uma luz bastante contrastada, bem mais dura do que a sombrinha branca. A gente percebe pelo fundo: mais escuro, mais acinzentado, uma luz mais dramática.

A sombrinha difusora tem uma característica bem interessante: ela fecha um pouquinho mais o ângulo de luz e dá um pouquinho mais de contraste que a branca.

A sombrinha difusora tem uma característica bem interessante: ela fecha um pouquinho mais o ângulo de luz e dá um pouquinho mais de contraste que a branca.

Esta sombrinha tem uma luz bem parecido com o OctoBox, mas com um custo bem menor - Luz Suave

Esta sombrinha tem uma luz bem parecido com o OctoBox, mas com um custo bem menor – Luz Suave

“Uma das sombrinhas que eu mais gosto de todas essas. É a sombrinha da marca Eclipse, ela é perolada por dentro. Essa sombrinha pode ser difusora e rebatedora. Essa parte que eu usei dela é a parte rebatedora, a parte perolada.

“Uma das sombrinhas que eu mais gosto de todas essas. É a sombrinha da marca Eclipse, ela é perolada por dentro. Essa sombrinha pode ser difusora e rebatedora. Essa parte que eu usei dela é a parte rebatedora, a parte perolada.

Esta última sombrinha, também perolada, da Eclipse, com um diâmetro de 1,50m. Deu para perceber que ela é um show de bola, né? Tanto na cor quanto na suavidade da luz. Ela tem também um contraste, porque não é aquela sombrinha tão suave, mas a gente percebe que quanto maior o diâmetro da sombrinha, a luz abraça mais o modelo.

Esta última sombrinha, também perolada, da Eclipse, com um diâmetro de 1,50m. Deu para perceber que ela é um show de bola, né? Tanto na cor quanto na suavidade da luz. Ela tem também um contraste, porque não é aquela sombrinha tão suave, mas a gente percebe que quanto maior o diâmetro da sombrinha, a luz abraça mais o modelo.

“Essa sombrinha eu peguei há pouco tempo. É uma sombrinha da Mako. Ela lembra bastante uma sombrinha para dançar frevo: tem uma parte dourada, uma parte prata, outra dourada… Nesta foto, você percebe o rosto da modelo mais dourado, as pernas mais prata, o fundo fica mesclado: ele começa a ficar um pouco branco, um pouco dourado,  meio azulado nas sombras. É uma sombrinha que também tem um contraste alto, lembrando as sombrinhas prata e dourada, que são de contraste mais alto.

“Essa sombrinha eu peguei há pouco tempo. É uma sombrinha da Mako. Ela lembra bastante uma sombrinha para dançar frevo: tem uma parte dourada, uma parte prata, outra dourada… Nesta foto, você percebe o rosto da modelo mais dourado, as pernas mais prata, o fundo fica mesclado: ele começa a ficar um pouco branco, um pouco dourado, meio azulado nas sombras. É uma sombrinha que também tem um contraste alto, lembrando as sombrinhas prata e dourada, que são de contraste mais alto.

“Hoje, eu não vejo muito custo-benefício nessa sombrinha, porque ela é muito parecida com a prata, com bastante contraste, só que ela fica com esse tom amarelado, coisa que poderia ser feita diretamente na temperatura de cor no Lightroom.

“Hoje, eu não vejo muito custo-benefício nessa sombrinha, porque ela é muito parecida com a prata, com bastante contraste, só que ela fica com esse tom amarelado, coisa que poderia ser feita diretamente na temperatura de cor no Lightroom.

 

 

Flashmeter (Fotômetro de mão)

Para usar o flashmeter é basicamente muito fácil, basta fixar o (Iso) e a velocidade (obturador), apontar a cúpula branca na direção da objetiva, em seguida  disparar o flash, assim terá a medida de diafragma  (f).

O Fotômetro (Flashmeter) de mão tem por função medir a luz que incide ou reflete  sobre o objeto.

Modelo: Ingrid Muller

Produção e assistência: Silvinha Figueiredo

Make up: Daniela Santos

Maquina D700 – Lente 24/120

 

 

Making of da cena

Making of da cena uma fonte de luz (soft)

Medição da area clara, apontando a cúpula na direção da objetiva.

Medição da área clara, apontando a cúpula na direção da objetiva.

medição da area escura, para saber o quanto teremos de contraste

medição da area escura, para saber o quanto teremos de contraste

Resultado final da foto.

Resultado final da foto.

Duas fontes de Luz Soft e Octo

Duas fontes de Luz
octo a esquerda e soft a direita

Medição da luz no queixo, intensidade igual.

Medição da luz no queixo, intensidade igual do octo e soft.

Resultado final com duas fontes

Resultado final com duas fontes

 

Duas fotos de luz, Soft do lado direito e Octo do esquerdo (VOLUME)

Duas fontes de luz, octo à esquerda e soft à direita (VOLUME)

Medindo a luz do lado esquerdo aonde a luz é mais forte

Medindo a luz do lado esquerdo incidencia mais forte

medindo a luz do lado direito, onde é mais fraca

medindo a luz do lado direito, a incidencia  é mais fraca

Resultado final (Volume)

Resultado final (Volume)

 

três luzes, volume e cabelo Making of

Três fontes de luz, volume e cabelo
Making of

medindo a luz do lado esquerdo (mais forte)

medindo a luz do lado esquerdo (mais forte)

medindo a luz do lado direito (mais fraca)

medindo a luz do lado direito (mais fraca)

medindo a luz do cabelo

medindo a luz do cabelo

Resultado final

Resultado final

 

Uso de luz continua, modo de medição (amb)

Fonte  de luz continua, modo de medição (amb)

resultado final

resultado final

FlashMeter_Modos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Luz Suave – Acessórios – Modificadores – II

Nesta segunda parte vou mostrar como são as luzes suaves.

Vamos ver como são os efeitos de acessórios para luz dura, percebam a sombra atrás  da modelo para ver o  contraste.

Modelo: Barbara Beltrame

Produção: Silvia Figueiredo

Make: Daniela Santos

Sombrinha Branca - suave

Sombrinha Branca – suave Atek

Sombrinha prata - maior contraste .

Sombrinha prata – maior contraste  Atek

Sombrinha dourada

Sombrinha dourada Atek

Sombrinha mista, esta tem dourado e prateado - Mako

Sombrinha mista, esta tem dourado e prateado – Mako

Sombrinha Difusora - Mako

Sombrinha Difusora – Mako

Sombrinha Soft - Mako

Sombrinha Soft – Mako

Octo box - Mako

Octo box – Mako

Hazy Light - Atek

Hazy Light – Atek

SoftBox 120x90 da Mako

SoftBox 120×90 da Mako

Softbox 60x80 Atek

Softbox 60×80 Atek

StripLight Atek

StripLight Atek

Luz rebatida por um isopor .

Luz rebatida por um isopor .

 

Luz DURA – Acessórios – Modificadores

Esta é uma duvida para que começa dar os primeiros passos na fotografia de estúdio.

Vamos ver como são os efeitos de acessórios para luz dura.

Modelo: Barbara Beltrame

Produção: Silvia Figueiredo

Make: Daniela Santos

Flash direto sem modificador

Flash direto sem modificador

Refletora Parabólico curto Atek

Refletora Parabólico curto Atek

Refletora Parabólico longo Atek

Refletora Parabólico longo Atek

Refletor base Atek

Refletor base Atek

Refletora base com Colmeia Atek

Refletora base com Colmeia Atek

Snoot longo

Snoot longo

Snoot Curso Atek

Snoot Curso Atek

Snoot curto Mako

Snoot curto Mako

Refletora Grande (Beaut Dish) Atek

Refletora Grande (Beaut Dish) Atek

Refletor normal Mako

Refletor normal Mako

Refletor Standard pequeno Mako

Refletor Standard pequeno Mako

Refletor Backlight Mako

Refletor Backlight Mako

Refletor Portrait Mako (beleza)

Refletor Portrait Mako
(beleza)

Fresnel Atek

Fresnel Atek

 

 

 

 

Estudio na Pratica (dicas)

Estudio na Pratica

 

Fotografia de Gastronomia

Na Revista Técnica & Prática deste mês, escolhi um tema de da água na boca! A fotografia de alimentos é um grande desafio, pois não basta iluminar o prato é necessário valorizar a textura, a cor, brincar com o desfoque, tudo para que o leitor coma a imagem com os olhos.

Como exemplo, fotografei num belo restaurante de Guarulhos (SP), que cedeu o espaço e os pratos para que pudesse criar algumas destas imagens.

Antes de mais nada procuro sempre bater o branco para ajustar o white balance e usei o Colorchecker em cada nova iluminação, para otimizar meu trabalho.

“Bater o branco” e Colochecker

No primeiro prato, carne de cordeiro com polenta, brinquei com a luz de três maneiras diferentes.

No primeiro, usei uma única fonte de luz com um softbox em 90 graus, lateral e rebatedor do lado oposto, onde apenas a carne de cordeiro foi valorizada, com um brilho forte.

Nikon D700, lente 105mm macro, ISO 200, f/11, 1/100s

 

No segundo caso, usando o mesmo prato, posicionei o softbox inteiramente de cima, com dois rebatedores laterais.  Neste caso, a polenta ganhou mais textura.

Nikon D700, lente 24-120mm, ISO 200, f/16, 1/100s

Na terceira alternativa para o mesmo prato,  utilizei a mesma posição do softbox, vindo de cima e adicionei uma segunda fonte de luz com um refletor base com uma colméia, como luz de recorte, vinda de trás do prato.  Esta adição da luz, criou brilhos na textura da carne e da polenta que deram um aspecto apetitoso à comida.

Nikon D700, lente 24-120mm, ISO 200, f/18, 1/100s

 

 

O próximo prato foi um delicioso filé de salmão ao molho de pimenta- rosa, acompanhando um risoto de aspargos. Resolvi criar um tom mais quente neste prato, para dar um toque de elegância. Neste caso, utilizei uma luz contínua, vindo de cima e ao fundo para criar um efeito suave e quente  e um softbox lateral em 30 graus, lateralmente ao prato, para destacar a textura. Rebatedores foram adicionados do lado oposto da fonte de luz e na frente do prato, somente para amenizar um pouco a sombra.

Nikon D700, lente 24-120mm , ISO 200, f/8, 1/100s

O próximo prato foi uma apetitosa salada de camarão.
Aproveitei a área externa do local e fiz uso da luz natural, o sol, como luz principal. Acrescentei um softbox apenas como luz de preenchimento. Escolhi um ângulo no qual pudesse aproveitar o jardim como fundo da composição.

Nikon D700, lente 24-120mm, ISO 200, f/8, 1/100s

Maiores exemplos e maiores detalhes você pode encontrar na Revista Técnica & Prática ed. 28.

PhotoImage Brazil – 2012

 Esta semana irei palestrar na stand da Nikon na Photo Image! Não percam!

Objetos metálicos e reflexivos, como fotografá-los?

Um dos grandes desafios para um fotógrafo é clicar  objetos metálicos, que tendem refletir  tudo ao seu redor: seu estúdio, seu equipamento, sua câmera e de quebra, você!
Para resolver este tipo de problema, tenho alguns truques na manga. Não basta apenas pensar na iluminação do produto e eliminar os reflexos, é necessário saber o que será refletido.
Eliminar completamente o reflexo de um objeto metálico o torna opaco, fosco, com aspecto de plástico.
Na Revista Técnica & Prática, edição  18  usei 5 exemplos.

O batom é um produto de beleza e a captura de sua imagem deve passar essa mesma sensação de charme e beleza ao consumidor.
Para esta situação criei um fundo branco com uma colméia de fundo e uma espécie de tenda feita de papel vegetal, com uma luz lateral para criar o efeito de volume no corpo metálico.

Nikon D300, Lente macro 105mm, ISO200, f/11, 1/100s

 

 

Fotografar um objeto totalmente metálico, como um pegador de salada de inox, costuma ser um grande problema. Não basta eliminar os reflexos é necessário manter o volume, caso contrário o objeto terá um aspecto de plástico ou fosco.

Conversando com colegas através de fóruns e grupos de fotografia, testei uma nova dica- gambiarra: utilizei uma fórmica branca enrolada e posicionei o objeto dentro dela, com um softbox vindo das duas aberturas. A grande sacada é usar apetrechos que criem volume no metal. Usei plaquinhas pretas de foam board.

Nikon D300, Lente 24-120mm, ISO200, f/8, 1/100s

 

Outro objeto que escolhi foi um frasco de loção de beleza, um item que deve chamar a atenção dos consumidores.
Neste caso usei apenas um difusor na frente do softbox para que o próprio softbox não aparecesse no produto e dois mini rebatedores um de cada lado do frasco, para criar marcas de volume. Fundo 100% branco, com ajuda de uma colmeia.

Nikon D300, Lente 24-120mm, f/11, 1/100s

Um outro objeto de inox, um porta-adoçante, com áreas arredondadas.
Utilizei dois softboxes laterais e uma colmeia de fundo. Criei marcas pretas laterais com plaquinhas pretas de foam board e as listras brancas são reflexos do próprio softbox.
Pequenos ajustes de photoshop são necessários para ajustar a imagem.

Nikon D300, Lente 24-120mm, ISO 200, f/16, 1/100s

Às vezes os reflexos podem ser eliminados trabalhando com a perspectiva do objeto e do ângulo a ser fotografado.
No caso deste ralador,  girei a peça até encontrar um ângulo bom e fotografei de frente mas não no eixo, um pouco acima dele.
Usei dois softboxes laterais e uma colmeia de fundo.

Nikon D300, 24-120mm, ISO 200, f/16, 1/100s

 

Não existe uma receita de bolo para fotografar objeto X ou Y. O fotógrafo precisa explorar, testar e improvisar.

Cuidados na hora do click

Ministro cursos há 14 anos, ensino técnicas de iluminação em estúdio, montagem de sets, direção de modelos, dicas de composição, produção, corte da foto, mas uma das grandes dificuldades que vejo em muitos fotógrafos é o ângulo em que ele fotografa e a distância focal que é usado.

No dia a dia dos cursos sempre vejo alguns alunos fotografando em grande angular, aproximando-se da modelo,  posicionando- se de cima para baixo. Isso distorce a pessoa e brinco com os alunos que isso transforma a modelo em um  E.T. e convenhamos, ninguém quer isso!

Então sempre bato na mesma tecla e digo para fotografarem em tele, no mínimo acima de 50mm e sempre que forem fotografar alguém de corpo inteiro, ABAIXEM, mantenham-se  no eixo do modelo. Para fotos de retrato também vale a dica: fotografem no eixo do rosto da pessoa, não de cima e nem debaixo!

Isso acontece pois como o próprio nome diz, a lente grande angular projeta uma área de imagem maior, em uma distância menor. Isso distorce a perspectiva. Lentes “mais longas” , ou tele,  amplia a distância entre objetos, cria uma maior profundidade de campo e distorce menos.

Gostaria de demonstrar um exemplo mas ninguém no estúdio quer posar de cobaia, então usarei uma foto que estava circulando no facebook:

%d blogueiros gostam disto: